• Fafedry

Meio-branco do algodão sem utilizar químicos e temperaturas elevadas? Aqui está a prova!

No caso da fibra de algodão em cru, 90 % da sua constituição representa a celulose, enquanto o restante são impurezas que devem ser eliminadas com o objetivo de aumentar o teor em celulose para valores superiores a 99 %.


Estas impurezas conferem ao algodão um aspeto amarelado/acinzentado que são eliminadas por oxidação (operação de branqueio). O termo meio-branco é, então, constituído por duas fases: a primeira por fervura alcalina, na qual são utilizados produtos químicos, como soda caustica (com uma elevada concentração), e um detergente com grande capacidade dispersante para eliminação das impurezas; e a segunda chamada de fase de branqueio, na qual são utilizados produtos como agentes oxidantes, sendo os mais relevantes o hipoclorito de sódio, o peróxido de hidrogénio e o clorito de sódio, todos eles com elevadas concentrações. No final destas duas fases o tecido de algodão apresenta uma cor meio branca em vez do amarelo/acinzentado do início do processo e encontra-se preparada para receber qualquer tipo de acabamento, tal como o tingimento.









Na Fafedry, em prol do planeta Terra, procuramos sempre alternativas mais sustentáveis e esta é uma delas! Realizamos o meio-branco do algodão, para posterior acabamento em tinturaria, com o recurso à tecnologia OFree, utilizando ozono, sem qualquer adição de produtos químicos ou recurso a temperaturas elevadas!


Este é mais um dos nossos compromissos para com a sustentabilidade, e os resultados são estes, com valor acrescentado para os clientes e para a natureza!



#fafedry #weallcare #madeinportugal #sustentabilidade

Recent Posts

See All